Centelha Divina

Centelha Divina I

 

Um grupo de pessoas recebe a informação de Eu Sou Eu Sou e sentem que Eu Sou Eu Sou está dentro de cada um.

 

Acontecem duas reações. Uma de humildade e essas pessoas sentem amor, gratidão e alegria. Elevam-se imediatamente. Iluminam-se. Entendem que ter essa consciência implica em trabalhar pelo Eu Sou Eu Sou.

 

Um segundo grupo de pessoas sente orgulho e poder. Imediatamente estas pessoas vêem passar pela visão delas como se fosse um filme, as cenas das várias encarnações que tiveram, indo da atual para a mais antiga. E após a mais antiga a cena de onde vieram. De onde originaram. O Oceano Primordial de Energia, o Vácuo Quântico, Deus. O choque é tão grande que todos caem de joelhos em prantos.

 

 

Todo o problema da humanidade sempre foi o descrito acima. Decidir entre uma atitude ou outra. E todos os problemas decorrem da escolha da segunda opção. Como esse filme só pode ser visto na próxima dimensão, o astral, as pessoas pensam que podem se dar ao luxo de usar essa conscientização para o poder. Essa tentação é grande demais para a maioria das criaturas. De uma forma ou de outra as pessoas sentem essa Consciência dentro de si, mas imediatamente pensam que elas é que são poderosas.

poder

 

O Poder Criativo Divino está ativado com mais intensidade a partir de 21 de dezembro de 2012 para que as pessoas entendam e sintam o que está descrito acima. A humanidade está criando muito mais rapidamente tudo o que pensa e sente. Se olharem as noticias com olhos abertos perceberão isso. Que algo muito importante está acontecendo. E se pensarem entenderão as conseqüências que virão das escolhas que estão sendo feitas agora. Cada ser humano é co-responsável pelo que ocorre e ocorrerá. Porque cada ser humano é um co-criador. Eu Sou Eu Sou está dentro de cada um.

 

 

Centelha Divina II

 

Quando uma pessoa alinha a sua vontade com a vontade do Todo, a Centelha Divina daquela pessoa brilha como um sol radiante.

 

Para que isso aconteça a pessoa precisa ativamente alinhar seus pensamentos, sentimentos e ação com a vontade do Todo. O Amor Incondicional.

 

Isso significa pôr na prática da sua vida ações que reflitam sua vontade de unificação com o Todo. É preciso agir e fazer o bem incondicionalmente o máximo possível dentro das possibilidades de cada um. O máximo possível é o máximo da capacidade daquela pessoa. 100% da sua capacidade de fazer o bem em todos os sentidos. Dar tudo de si. Isso é 100%.

 

Fazendo isso o índice de Luz do planeta aumentará e tudo será mais fácil de ser resolvido. O mesmo acontecerá com a vida da pessoa.

 

É uma coisa evidente que quanto mais Luz menos trevas. O que os negativos querem é mais território para eles. E território com trevas. Cada pessoa que se ilumina diminui as trevas do planeta. É um esforço individual. Um a um. Uma batalha travada por cada pessoa. É assim que a Luz vencerá.

 

Todos temos livre arbítrio. Pessoas, países e a humanidade. Cada um colhe o que planta. Os limites das consequências do uso errado do livre arbítrio são extensos. Uma única pessoa pode fazer acontecer uma guerra mundial. Este é um exemplo de até onde pode chegar o livre arbítrio. Portanto, o sofrimento que uma pessoa pode gerar é enorme. Como também o bem que ela pode fazer.

 

É extremamente importante que cada um tome a decisão de optar pelo Todo. O quanto antes.

 

 

 

“Não encontro a Centelha”

 

Uma cliente fez esta declaração no atendimento.

Onde será que está a Centelha dela?

Será que saiu passeando por ai e não voltou?

Brincadeiras à parte, esse é o problema da humanidade inteira. A maioria nem sabe que tem uma Centelha Divina no mais âmago de si mesmo. Uns poucos sabem que existe, mas não sentem. E uma minoria diminuta sabe e deixa que a Centelha trabalhe.

E toda a solução de todos os problemas está em que a humanidade reconheça dento de si o Divino e o reconheça em toda a criação.

Em termos de física essa é a verdade mais óbvia que existe. Tão óbvia que é ignorada completamente. É o tabu dos tabus. O preconceito dos preconceitos. A mãe de todas as mentiras. O maior erro de todos. A maior manipulação de todas. O maior encobrimento de todos. O maior engano de todos. O maior perigo de todos. A maior infelicidade de todas.

 

A única solução que existe. A solução que terá de ser aceita mais cedo ou mais tarde.

Mas, isso implica no fim de todas as guerras, de todas as explorações, de toda maldade, de toda violência e de todo o sofrimento.

É por isso que sempre se afirmou que Deus está fora de nós. Que é transcendente. Que não é imanente. Porque assim pode-se cometer todo tipo de violência contra a criação e dormir tranqüilo! Porque assim são eles contra nós! Assim podem existir as divisões, os países, as guerras, os conflitos. E as guerras são muito boas para os negócios! Se ganha muito dinheiro com a guerra.

 

Vejam o caso do fornecimento de munição na Primeira Guerra Mundial.

Vejam as proibições de se destruir a infra-estrutura inimiga para que a guerra continuasse.

Vejam as limitações impostas na Guerra do Vietnã, para que a guerra continuasse.

Vejam todas as mentiras e falsidades propagadas para que as guerras aconteçam.

Vejam o que o economista John Maynard Keynes disse sobre a solução para a depressão econômica de 1929.

Esses são apenas alguns exemplos.  O histórico de maldade humana é praticamente infinito.

E tudo isso por quê?

Porque a Centelha Divina não é reconhecida dentro de cada um.

No mais profundo de você existe um Átomo Primordial, essa é a Centelha. Esse é o Criador. Esse é Deus.

Coberto por um ego que ignora sua existência. Que esqueceu que é a própria Centelha.

Sua jornada é relembrar que Ela existe. É deixar que Ela atue. É fundir-se com Ela.

É tornar-se um só com Ela. Uma Unidade. O UNO.

Para encontrar a Centelha, afirme: EU SOU EU SOU.

E sinta o que sente.

 

 

 

Do Mestre

 

Quando se pensa na dificuldade que existe hoje para se entender a Mecânica Quântica é que se tem uma idéia do quanto era revolucionária a mensagem de 2000 anos atrás.

Depois de todos esses anos a humanidade continua acreditando na separação, em um deus ciumento e vingativo, que manda doenças e desgraças e que tortura pela eternidade.

O conceito de Amor ainda não entrou na consciência da humanidade.

Aceitarem que o Pai (Ab-bã) é Puro Amor; que ama incondicionalmente e que quanto mais ama, mais amor quer dar; ainda é só uma esperança para o futuro.

Aceitarem que existe uma Centelha Divina dentro de cada criatura e que essa Centelha é o próprio Pai.

Que Ele espalha a sua Luz e seu Amor por todos os Universos e Multiversos. Por todas as dimensões da Única Realidade do Tudo-Que-Existe.

Que só existe Ele. Que só existe uma Onda. Que só existe Uma Consciência.

Toda vez que se contraria a realidade descrita acima temos problemas.

O Pai não tem limitações de espécie alguma. Não só é Onisciente, Onipresente e Onipotente, como não tem concepções humanas de tabus e preconceitos.

A humanidade ainda está se debatendo com os aspectos da homossexualidade masculina e feminina. Quando será que entenderão que só existe Amor?

O dia a dia da humanidade mostra que isso está longe de ser entendido. Competição, posse, disputas por tudo que existe é a regra. Num universo de Infinitas Possibilidades compete-se por migalhas. Sendo que a Mente cria universos quando bem quer. A Mente emana tudo que precisa para sua plena realização. Não existe limitação de qualquer espécie. Somente a limitação da mente humana é que cria essa dificuldade toda neste planeta. A carência é um conceito que não existe na mente do Pai. Foi dito: “Os seus pensamentos não são os meus pensamentos”. Vejamos se fica claro: a forma do Pai pensar não tem nada a ver com a forma dos humanos pensarem. Portanto, antropomofizar é um absurdo.

No livro “Cavalo de Tróia 6”, (vou relatar de memória) o Mestre está segurando uma vareta e mexendo numa fogueira, de noite. Uma mariposa pousa na vareta que Ele está segurando. Ele pergunta:

 

- Esta mariposa tem consciência de que Deus a esta segurando? Pois os homens estão na mesma situação em relação a consciência deles e a do Pai.

 

Então, quando um Avatar desce num planeta emanando o amor do Pai é muito difícil que seja compreendido e aceito. Os interesses humanos e materiais são grandes demais para que possa ser aceito. É um amor incompreensível para a humanidade. Um amor que dá sem parar e quanto mais dá mais quer dar. Um Amor que é pura Alegria.

 

O Amor do Mestre é tão imenso, tão indescritivelmente imenso, que é incompreensível para a maioria da humanidade.

Só vivenciando a união com Ele é que se pode vislumbrar um relance deste Amor.  É um amor tão imenso e tão avassalador que só uma pequena parte dele pode ser sentida pelo ser humano. O Sistema Nervoso Central humano não suportaria tal freqüência de Amor e uma síncope nos tiraria do corpo.

Vivenciar isto é queimar o tempo todo sem se extinguir. O Amor do Pai é auto-alimentador. É uma hierarquia entrelaçada.

E só há uma forma de agradecer por tanto amor recebido. Espalhar esse amor pela humanidade.

 

Obrigado Pai.

 

 

 

Endereço Cósmico

 

Quando a Centelha Divina é emanada recebe um código de identificação. Um nome eterno. À medida que vive suas vidas estas individuações são acrescentadas ao nome original. Depois de um tempo ficará assim, por exemplo:

 

Nome Original/José da Silva/John Smith/Pierre François/José Rodriguez/Kimio Yuzuka

 

E por ai vai. A cada encarnação o nome atual é incorporado a todos os demais nomes. Assim é possível acessar todas elas. É um currículo cósmico.

 

Todo o problema da Centelha Individualizada é viver como se estivesse separada de tudo e de todos; desenvolvendo uma consciência que possa no futuro entrar em fase com o Todo de onde partiu. É assim que o Todo adquire mais vivência, experiência e conhecimento. Multiplicando-se infinitamente de acordo com o Seu potencial, é claro.

 

A Centelha faz parte de um coletivo. O Todo. Todas as Centelhas de todas as dimensões, de todos os tempos passados, presentes e futuros, de todos os universos e multiversos, são o coletivo. Aceitar isso sem perder a individualidade é o que se chama “O Estado da Arte” da consciência de um ser. Desenvolver todo o seu potencial e usá-lo para o bem do coletivo de livre e espontânea vontade. Expandir ao máximo seu potencial e entrar em fase com o Todo. Esse é o dever da Centelha. Esse é seu destino.

 

Todas as vidas levam a isso. Cada uma delas é um passo na conscientização de que existe o Todo de onde ela partiu e para onde voltará. Com seu livre-arbítrio. Ninguém é obrigado a ser feliz. Ninguém é forçado a ser feliz. Ninguém é forçado a entrar em fase com o Todo. Isso deve ser feito com alegria, com doação, com amor. Com amor pelo Todo e pelas Centelhas.

 

A questão de até hoje não terem entendido como pensa o Todo é porque o Todo não pode ser entendido. Ele tem de ser sentido. O Todo é um sentimento. Sem ter esse mesmo sentimento, a Centelha não consegue entrar em fase com o Todo. É por essas razões que existem as guerras religiosas de todos os tipos. Uma guerra religiosa é um absurdo total. Uma aberração. Uma coisa totalmente contrária ao Todo. Como pode existir isso? Quando as Centelhas usam o intelecto, a mente. Quando usam isso se distanciam totalmente do Todo, já que Ele não é um pensamento. É por essa razão que os filósofos, cientistas e etc. não conseguem chegar numa conclusão e viver em função do coletivo. O Ego não permite. O Ego da Centelha que pensa, mas não sente, acha que está só e separado de todo o resto. Não consegue elaborar o sentimento do Todo. Não consegue pensar e imaginar o que é o Todo. Muito menos entendê-Lo.

 

E assim essa Centelha que não entende o Todo faz coisas como torturar, matar, mutilar, etc. outras Centelhas. Essa é a razão de todos os problemas que existem neste planeta Terra. Tudo seria resolvido rapidamente se as Centelhas sentissem o que o Todo sente. Só que esse problema é gigantesco porque centelhas sequer sabem que existe o Todo e esse conhecimento sempre foi suprimido. Desde tempos imemoriais vem sendo suprimido. E assim o instinto natural de procurar o Todo para voltar para casa é transformado numa adoração de deuses menores. E é claro que os deuses menores têm um ego muito grande, mas muito grande mesmo. Um ego de deus. Lembram daquela pessoa que disse: “eu não rezo porque não sei se minha vontade é a mesma Dele”. E esse é um ego de uma centelha candidata a deus menor. Imagine se chegasse a ser um deus menor?

 

Quando será que as centelhas irão desconfiar que tem algo errado no que acreditam?

 

 

 

Espírito I

 

 

Numa das últimas palestras uma pessoa do lado espiritual, um desencarnado no astral, fez a seguinte pergunta: “Como faço para me unificar com o Espírito?”.

 

A palestra é sempre dada para os dois lados da realidade: o da Terceira Dimensão (a nossa) e o  primeiro nível acima (o astral). Muitas pessoas vêm do lado do astral para assistir a palestra. Desta forma, muita coisa é falada apenas para eles. Pode ser que alguém da nossa dimensão não entenda porque aquilo está sendo falado. É porque é para os do outro lado.

 

Agora vejamos, os da nossa dimensão (Terceira) querem sentir o lado espiritual e quem já está do lado de lá (forma de falar, todas as freqüências ocupam o mesmo lugar no espaço), continuam querendo chegar ao espírito! Percebam que o problema persiste. Não importa de que lados estejam a questão da unificação com o Todo persiste. O que esta pessoa que fez a pergunta precisa é sentir a Centelha Divina. Quando ela sentir dentro de si a Centelha essa dúvida desaparece e ela se sentirá unificada com o Todo. O mesmo acontece com os da nossa dimensão. Quando sentirem a Centelha não terão mais nenhuma dúvida sobre a existência do lado espiritual e do Todo.

 

 

 

Elos

 

 

Esclarecendo alguns detalhes da palestra Ego e Felicidade.

 

Quando foi dito que devemos dar tudo, soltar tudo e ceder tudo foi em relação ao íntimo da pessoa. Ao ego que deve se transformar  e entregar-se ao Todo completamente. Uma fusão com a Centelha Divina.

 

Não é em relação ao mundo exterior da pessoa. Todo radicalismo é um problema e só traz problemas. Lembrem-se do Caminho do Meio. Não é para fazer mudanças radicais na vida externa das pessoas. Todos devemos fazer nosso trabalho onde estamos. Semeando o conhecimento e a transformação onde estamos. Temos compromissos que assumimos antes de chegarmos aqui de ajudarmos nesta transformação onde estivermos.

 

Ir para uma comunidade fugindo dos problemas desta civilização não é a solução e só nos trará problemas graves. Essa não é a solução. Imaginar que haverá uma comunidade em que todos os problemas foram resolvidos por um passe de mágica e que só haverá pessoas do mesmo nível de consciência é uma ilusão. A individuação é passo à passo e é um longo caminho. Jung deixou isso bem claro. A individuação é um processo interno. Não é cortar os elos com a vida externa.

 

Espero que isso tenha ficado claro para todos.

 

 

 

Iluminação Espiritual I

 

 

A Iluminação Espiritual parece uma coisa muito difícil de atingir. Muita gente pensa que é preciso ir pro Tibete e virar monge. Hoje este conhecimento está disponível para qualquer pessoa no Ocidente que o queira.

 

A primeira coisa é aceitar e reconhecer a existência da Centelha Divina que existe em cada um. Dentro de cada pessoa. É o que se chama a Presença Eu Sou. Quando a pessoa pensa no mantra “Eu Sou Eu Sou”, ela deve sentir uma pulsação no chakra cardíaco. Este é o sinal de que a pessoa está consciente da Centelha. Tanto mentalmente quanto emocionalmente.

 

A questão é que o paradigma vigente no Ocidente não aceita a existência da Centelha. É por isso que fica difícil para muita gente sentir a Centelha. Quem não tem interesse que a humanidade desperte para esse conhecimento divulga que a Centelha não existe. As guerras seriam impossíveis caso a humanidade reconhecesse isso. Como também as torturas.

 

Depois de aceitar que a Centelha existe, o próximo passo é decidir deixar que a Centelha assuma o comando e o controle da vida da própria pessoa. Isto é o que se chama integrar o ego na Centelha. É um processo de fusão em que o ego (a própria pessoa) passa a trabalhar para a Centelha. A Centelha passa a decidir tudo na vida da pessoa.

 

É preciso ficar claro que a Centelha Divina é o próprio Deus, O Todo, O Criador... Qualquer que seja o nome que seja dado à Ele. Não é outra coisa. É o Próprio. Portanto, se a pessoa deixar a Centelha tomar conta da vida dela todos os problemas estarão resolvidos no devido tempo. Tudo que o ego fez precisa ser resolvido, curado, compensado, integrado, etc. À partir do momento que a pessoa se entrega (rendição incondicional) todas as soluções aparecerão.

 

Detalhe: fazer a fusão com a Centelha pensando em fazer negócio, ganhar dinheiro, levar vantagem, curar doença, pagar dívidas, etc. não é fazer a fusão com a Centelha. Isso na prática é fazer o pacto com o Ser Negativo. O que Fausto fez.

 

Lembrem-se de que o Todo não se deixa vencer em generosidade. Quanto mais você der mais receberá. Centuplicado. Mas, não se pode pensar nisso como negócio, troca, etc. É dar sem esperar receber em troca. Como o Todo dá.

 

A Centelha Divina é puro amor e o que Ela faz é amar incondicionalmente. Esse sentimento deve tomar conta 100% da pessoa.

 

Resolver os problemas desta encarnação é um trabalho que o ego fundido com a Centelha deve fazer. Usar todo o potencial criador que a Centelha Divina possui para resolver os problemas. Se não houver intromissão do ego (interesses da própria pessoa) nisso, os problemas serão resolvidos facilmente. Caso a pessoa coloque seus próprios interesses como prioridade (invés de colocar a Centelha como prioridade da sua vida) os problemas aumentarão. É o que acontece normalmente com toda pessoa que ignora o Todo.

 

A solução de todos os problemas e alcançar o estado de beatitude (nirvânico) é possível nesta encarnação. Basta que cada um decida entregar-se à Centelha Divina que está dentro de si.

 

 

 

Iluminação Espiritual II

 

 

Acontece que na prática a pessoa julga que isso é uma coisa difícil e muito distante da sua realidade. Nem consegue entender o conceito e quanto mais senti-lo.

 

E o primeiro problema são os “quereres”. Um cliente viaja constantemente para Nova Iorque e fica hospedado num hotel em frente do Central Park. Está infeliz porque não tem um apartamento do lado do hotel! Outro cliente viaja constantemente para o Rio de Janeiro e fica hospedado num hotel cinco estrelas em Copacabana. Está infeliz porque não tem um apartamento do lado do hotel! E assim por diante. Ad infinitum.

 

Por mais que a pessoa tenha ela nunca está satisfeita porque as questões internas não podem ser resolvidas com aquisições externas. Alexandre, O Grande, estava infeliz porque não via mais como o Império poderia expandir! Não importa o tamanho do poder ou da fortuna, a questão é sempre a mesma. Ter mais. Só que esse mais nunca é suficiente. O cérebro reptiliano (Complexo-R) sempre quer adquirir mais e mais de tudo. Enquanto a pessoa estiver sob comando deste cérebro não há solução para os problemas. Pode ter tudo que quiser e ainda estará infeliz.

 

O comando cerebral tem de passar para o neo córtex. Onde está o Homo Sapiens Sapiens. Quando isso acontece a pessoa decide o que é melhor para ela. Decide pelo equilíbrio. E ai pode equilibrar entre a razão e a emoção.  É possível a qualquer um tomar essa decisão. Existem vários sistemas processando ao mesmo tempo. E pela razão, pelo estudo, pela pesquisa, pela experimentação todos podem saber que a Centelha Divina existe. Por mais que falem que ela não existe. É uma experiência individual que todos podem ter. E decidir optar.

 

Quando a pessoa está do “lado de cá” acha que não existe o lado espiritual. Quando “passa prá lá” após a surpresa inicial continua “pensando” com o cérebro reptiliano e quer mais poder. Mesmo vendo que tudo aquilo que acreditava não é real e que a realidade é outra, continua do mesmo jeito. Poder pelo poder.

 

Se fosse racional a pessoa ao ver que a realidade última do universo é completamente diferente do que pensava quando estava viva nesta dimensão, a pessoa mudaria de visão de mundo. Mas, para muitas pessoas isso não significa nada. Mesmo vendo que a realidade é outra continuam da mesma forma. Não cedem. Não mudam e se aferram mais e mais ao que já pensavam.

 

Portanto, não é uma questão de trocar de dimensão que fará a diferença. “Morto” ou “vivo” é a mesma coisa. E quando encarna novamente continua tudo igual. Se tiver condições fará “melhor” do que na última vez. Mais tortura, mais mortes, mais exploração, mais poder, etc. Depois de um tempo volta para o lado espiritual e continua a mesma coisa. Cada vez piorando mais e mais. Sempre aferrado à mesma ideia de poder.

 

Estou contando isso para que as pessoas analisem bem a questão da Iluminação Espiritual e percebam que é a única solução que traz paz e felicidade pessoal. Não há outro caminho. A realidade de como o universo é se impõe. É imperativo que se aceite isso. Ou se aceita o Todo como Ele É ou o sofrimento é inevitável. E isto não é culpa do Todo.

 

 

 

Catarse II

 

 

Quando a pessoa viveu a vida toda dentro do Matrix sem saber que estava dentro dela e um dia descobre isso o choque é muito grande. Dentro da Matrix não temos ideia de que existe um outro mundo “lá fora” e que a Matrix é uma construção mental onde estamos aprisionados sem saber que estamos.

 

O primeiro sentimento é de perplexidade por descobrir que existe uma outra realidade muito melhor que a Matrix.

 

Em seguida vem a alegria da descoberta de um “novo mundo” e da liberdade de pensar. Como já disseram: livre pensar é pensar.

 

Normalmente haverá uma catarse, uma limpeza forte com choro profundo e uma alegria transbordante pela libertação.  Esse período é o que Stanislav Grof  chama de “Emergência Espiritual”. Recomendo o livro “A aventura da autodescoberta” e todos os demais dele.

 

Para algumas pessoas pode parecer que vão “enlouquecer”, mas é simplesmente a expansão da consciência “enxergando” a realidade. E a realidade é o Todo. O Todo é tudo que existe. E uma parte dele, a Centelha Divina, está dentro de cada ser. Descobrir a realidade última é descobrir a Centelha. E isso traz alegria infinita para nós. E essa alegria transborda por todos os poros. E é nesse ponto que somos agentes da transformação para que tenhamos uma planeta onde o Reino do Todo possa ser vivenciado.

 

Todos que estão passando pela Emergência Espiritual podem ficar tranquilos que esse período passa e depois vem a paz da união com o Todo.

 

 

 

Mandamentos

 

 

E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento.
Este é o primeiro e grande mandamento.
E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.

 

Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas. Mateus 22:36

 

Para poder cumprir isso é preciso entender quem é o Todo, Aton.

 

Quando usamos um microscópio podemos ver pedaços cada vez menores de matéria. Com um microscópio eletrônico podemos “ver” até o mundo atômico. Mas, se nos aprofundássemos mais e mais o que “veríamos”? Depois dos átomos temos os prótons, elétrons e nêutrons. Os prótons são formados por quarks. É neste ponto que a ciência chegou até o momento. Existem duas interpretações a seguir: uma diz que “abaixo” do nível dos quarks estão as supercordas e outra diz que existe o Bóson de Higgs; o campo que dá massa à tudo o que existe.

 

“Abaixo” disto existe o que? O Vácuo Quântico. Um infinito campo de energia primordial. É dele que “emerge” tudo o que existe. A energia que “emerge” e que entra em contato com o campo do Bóson de Higgs (que também “emerge” do Vácuo Quântico) é que dá massa aos quarks que forma os prótons que forma os átomos que forma as moléculas que forma as células que forma os órgãos que forma o corpo de qualquer ser orgânico. O ser humano por exemplo.

 

Esta é a realidade pura e simples. Tudo vem do Vácuo Quântico. Ele é tudo o que existe. Tudo o demais é uma emanação dele ou uma organização ou auto-organização dele. (Por enquanto estou usando minúsculas para ser didático). As demais interpretações são metafóricas. E qualquer metáfora é válida desde que entendida que é uma metáfora.

 

Tudo o que existe é formado pela energia primordial. Este vácuo Quântico está presente em tudo. Desde o nível do oceano primordial de energia (do qual tudo emerge) até as galáxias, aglomerados de galáxias e o universo inteiro. Nada está fora do Vácuo Quântico. Ele é tudo o que existe. Estou simplificando para ficar mais fácil de entender.

 

É de importância fundamental entender isso. Não existe nada que não seja o Vácuo Quântico. Ele é a energia que está presente em tudo. Ele é energia. Não tem massa ou matéria para ficar claro. É pura energia. A massa só aparece quando a energia entra em contato com o campo do Bóson de Higgs (que também vem do Vácuo Quântico). Estou repetindo para ficar claro, pois até hoje isso não foi entendido quando se fala do versículo acima. Sem entender qual era a intenção ao dizer uma coisa fica-se sujeito a n interpretações. Daqui a muito tempo a física aceitará isso. Por enquanto estamos vivendo na filosofia materialista. E o resultado está ai.

 

Quando as pessoas entenderem que são formadas pelo Vácuo Quântico e que tudo também o é, todos os problemas desaparecerão. Tudo estará resolvido.

 

Ser formado pelo Vácuo Quântico significa que a essência dele está dentro de todas as pessoas. Essa essência é o que se chama Centelha Divina. Um “Átomo” do Vácuo Quântico. Como se fosse uma impressão digital dele. Cada ser que existe tem uma Centelha Divina individual e individualizada. Emanada do Vácuo Quântico. A Centelha é o próprio Vácuo Quântico. Entender e reconhecer isso é o que se chama Iluminação. Iluminado é o ser que sente isso. Sentir é a palavra-chave aqui. Sem sentir não se aceita a Centelha Divina e portanto as guerras continuam e continuarão até que isso seja sentido.

 

Portanto, para se amar o Todo é preciso sentir que o Todo é a essência de tudo o que existe. No nível mais profundo o Todo e a pessoa são a mesma coisa. Só que a pessoa tem de sentir isso. Quando a pessoa sente isso ela passa a deixar que o Todo resolva tudo. É o que se fala sobre “abandonar” o ego. Deixar a Centelha agir. Deixar os interesses particulares de lado e deixar a Centelha guiar tudo. Sem isso a pessoa tentará dirigir a própria vida com a sua mente. E nesse ponto os problemas aparecerão inevitavelmente, pois deixar o Todo de lado e querer dirigir a própria vida (que é formada pelo Todo) é uma coisa completamente ilógica e não tem como funcionar. Soltar o ego e deixar a Centelha cuidar de tudo é a única solução. Isso não quer dizer não fazer nada, não trabalhar, não estudar, etc. É justamente o contrário. Temos de fazer o máximo que estiver ao nosso alcance para que a Centelha possa atuar. Lembram-se de que a Centelha está dentro do nosso corpo? O corpo é o veículo da Centelha. É preciso que o veículo seja o melhor possível.

 

Os problemas aparecem mais e mais até que a pessoa entenda e aceite que a Centelha Divina existe. Não há necessidade de sofrimento para entender isso. Basta aceitar e tudo está resolvido. O sofrimento vem de resistir a entender que tudo é o Todo. E que o Todo é tudo o que existe.  Não é possível estar dentro de um corpo (como uma célula de um fígado, por exemplo) e não aceitar que está dentro do fígado.  Nós estamos “dentro” do Todo. O Todo está dentro de nós. Tudo é o Todo.

 

Evidentemente que o que está escrito acima até hoje não foi entendido e nem aceito. É óbvio. Vejam o que acontece no planeta Terra!

 

É por isso que toda pessoa que lê esses versículos acha que é o resumo perfeito da fórmula para ser feliz e ao mesmo tempo vê que isso não é aplicado praticamente em lugar algum. E a aplicação disto só acontecerá quando a Centelha Divina for aceita e sentida. Ou vocês acham que o mundo dos negócios poderia continuar a ser do jeito que é se a Centelha fosse sentida?

 

 

 

Continuum Bondade

 

 

Este é a essência do Todo. Esta é a consciência que todos devem ter para que possa haver alegria, saúde, prosperidade, etc.

 

No momento trabalha-se incessantemente para que a humanidade tenha compreensão do significado da existência do Todo. O Pai que ama sem cessar.

 

Por exemplo, desde o momento em que um ser é individualizado tornando-se uma pedra, ele já tem ego. Existem pedras prepotentes desde o início da sua vida. Pedras que se pudessem passariam por cima das outras pedras. Esta é a causa de todo o sofrimento futuro desta pedra. Ela foi criada para ser feliz em harmonia com toda a criação. Este ego exacerbado é que atrai eletromagneticamente as condições do seu sofrimento futuro. Este sofrimento é criado pelo ego. Mesmo no estado mineral o ego já está atuando. Isso é uma escolha que cada um faz.

 

O Todo é puro Amor e só dá Amor. É a quintessência da Bondade.

 

Como o Mestre disse a dois mil anos: “Perdoar 70 vezes 7”. E isso é uma metáfora. O perdão não tem limite, mas as consequências dos atos da criatura são inevitáveis. O filho pródigo sempre pode voltar para casa.

 

Enquanto a humanidade não aceitar que o Todo é puro Amor não haverá solução para nada. A única forma de se chegar ao Todo é sentir e vivenciar o Amor que Ele É.

 

Para isso é preciso deixar o ego de lado. E deixar o Amor assumir o controle da vida. Isso tem de ser vivenciado senão não significa nada.

 

Todas as necessidades dos seres humanos podem ser resolvidas. Quando o Amor for vivenciado. Por cada um dos humanos. Cada pessoa é um universo individual. Este universo individual pode ser um paraíso ou um inferno. Cada um cria a sua realidade. Com Amor ou sem Amor. É um sentimento inato à toda Centelha Divina. O Todo está dentro de todos. Cada um tem o Todo dentro de si. Portanto, o Amor já está dentro de cada um. Basta deixar que Ele atue. É uma escolha. Uma decisão. Basta compreender que o Todo é Amor.

 

 

 

Aceitar ou não a Realidade

 

 

Esta postagem explica como funciona a realidade do Universo. Caso não se sinta confortável com essa informação, por favor, não leia.

 

Explicarei da forma mais simples possível. A complexidade do universo é infinita. No nível macro o universo tem a seguinte estrutura:

 

O Todo é Tudo-O-Que-Existe. Ele é Onipotente, Onisciente e Onipresente. Tudo está dentro Dele. Não existe nada fora. Ele é o único poder no universo. Não existe dualismo. O Todo é Amor.

 

Existe uma enorme hierarquia que administra o universo. Esta hierarquia trabalha pela Luz. Trabalha para o Todo. Não existe poder maior que o desta hierarquia. Os seres que são contra o Todo também têm sua hierarquia baseada no poder. Estes seres têm poder limitado. O próprio fato de optarem pela negatividade implica em não poderem entender como funciona o universo no nível macro. A consciência cria a realidade. Para que isso possa acontecer é preciso que essa consciência esteja num determinado nível de amor. Sem isso é impossível ter a capacidade de abstração necessária para entender conceitos metafísicos avançados. Esses conceitos é que permitem criar a realidade. Portanto, a própria escolha que fazem de se oporem ao amor é que limita as possibilidades de evolução dos seres negativos. Tudo tem consequência.

 

Todos os seres emanados pelo Todo devem evoluir no amor. Esta é a lei fundamental do universo. Conhecimento puro e simples não resolve na evolução. Sem amor não há evolução. E amar implica em ajudar.

 

Os seres têm infinitas possibilidades de evoluir de n maneiras diferentes. Por exemplo: Uma sociedade avançada tecnologicamente é evoluída? Não necessariamente. Se não tem amor não é evoluída. Se uma única pessoa passar fome nesta sociedade ela não é evoluída. Uma sociedade tribal sem tecnologia pode ser evoluída? Sim. Se tiver amor entre seus membros. Essa sociedade precisa avançar tecnologicamente? Não. O caminho da evolução é pelo amor. Os seres desta sociedade podem chegar ao Todo sem ter conhecimento tecnológico. Portanto, não é uma questão de ciência e tecnologia que define o progresso de uma sociedade.

 

Existem n dimensões da realidade. Em todas ela existe vida.

 

Os seres encarnam muitas vezes até que desenvolvam o amor incondicional. Os problemas de uma encarnação são resolvidos nas próximas. A encarnação faz com que esqueçam temporariamente o passado para poderem resolver os problemas pendentes. Por exemplo: um pai que tem um filho que foi seu assassino na vida passada. Somente o amor do pai pelo filho pode apagar o ódio.

 

Todo ato negativo gera uma dívida cármica. Essa dívida cármica atrai no futuro as condições para que seja paga. Carma não é destino. Nem justifica qualquer negligência na vida atual. Carma é um campo eletromagnético que atrai uma situação semelhante, para que ele aprenda uma lição. Um ladrão terá numa vida futura a oportunidade de roubar novamente. Caso ele resista e não roube terá aprendido a lição. Carma não é castigo. Ninguém é instrumento do carma para fazer outra pessoa sofrer. É preciso deixar isso bem claro. Um assassino não é um instrumento do carma para fazer outra pessoa sofrer. Isso é uma ilusão absurda. E quando a pessoa desencarnar verá isso claramente. Portanto, não ajudar, não trabalhar, não estudar, no limite das suas forças gera carma. Fazendo tudo que é possível no máximo das suas possibilidades não há carma gerado. Portanto, negligência em qualquer sentido gera carma.

 

Todos os seres têm o impulso da evolução dentro de si. É um instinto espiritual. A Centelha Divina quer se expressar o tempo todo. Fazer o bem incondicionalmente faz com que a Centelha possa se expressar. A Centelha Divina é o próprio Todo. Individualizado.

 

Existe vida por todo o universo. Existem infinitas civilizações extraterrestres. A vida é disseminada pelo universo também por essas civilizações. Essas civilizações podem ser muito desenvolvidas tecnologicamente ou não. Não é isso que define a evolução. Uma sociedade baseada em caçadores/coletores pode ser evoluída. A questão é se uma sociedade ama o Todo e aos demais membros dela. Portanto, evolução não implica em crescimento econômico/material/científico. Uma sociedade pode descobrir a existência do vácuo quântico e não entender o que isso significa. E uma sociedade indígena pode saber disto instintivamente.

 

Existe um ditado que diz que conhecimento é poder. Na acepção terrestre do termo é verdade. O conhecimento nas mãos de uma pessoa que pensa somente em poder, só provocará dor e sofrimento. Pois, será usado para manipular os demais. Por isso determinados conhecimentos não podem ser do conhecimento de todos.

 

Outra questão é a dissonância cognitiva. Que é o fato da pessoa não querer ver e entender a realidade. Normalmente a dissonância cognitiva só acaba com a dor. Quando dói muito a pessoa resolve enxergar o que estava bem claro na sua frente. Não há necessidade de ser assim. É uma escolha de cada um.

 

Desde que o ser é emanado sua evolução começa. Ele tem um ego para ser um ser individual. Sua meta é individualizar-se com o Todo. “Voltar para o Todo”.  Fundir-se com a Centelha Divina. O ego ficar inteiramente à disposição do Todo. Ser uno com o Todo.

 

Desde o início o ser recebe todo o tempo ondas de amor (in-formação) do Todo motivando-o a evoluir. Isso acontece sem parar. O Todo está trabalhando sem parar para que cada ser evolua o mais depressa possível. Normalmente o que faz o ser? Resiste de todas as formas. Quer ficar na zona de conforto sem evoluir. Isso lhe causa n problemas, mas a resistência é feroz. Nisso entra a dissonância cognitiva. O Todo cria infinitas condições e situações para propiciar a evolução do ser e isso é visto como problema pelo ser. A ciência chama isso de Teoria do Caos. Na verdade não existe sistema caótico. Ele é administrado pelo Todo. O caos é aparente. É uma maneira de tirar o ser da zona de conforto. É impossível não evoluir. É preciso entender isso e não se opor. Toda oposição à evolução causa dor.  O Todo é amor. O que é contrário à Ele só pode gerar dor e sofrimento para si.

 

Tudo que existe no universo é pura consciência. A Consciência do Todo. O universo é pura consciência. Consciência é energia. A matéria surge da energia. Por exemplo: o Bóson de Higgs é um campo que faz com que a matéria surja neste universo. Este campo dá massa, como se diz. Os quarks surgem dessa interação. Que formam os prótons, que formam os átomos, que formam as moléculas, que forma as células, que formam os órgãos, que forma o ser humano. Tudo originado por uma energia que tornou-se luz congelada.

 

O Amor do Todo entra o tempo todo no ser. O ego cria a resistência. Nos micro túbulos nas sinapses a Luz do Todo tenta passar e o ego emite uma energia contrária para evitar a Luz. É assim que a resistência acontece. Num cérebro que não oferece resistência à Luz todas as suas áreas estão iluminadas e funcionando. Num cérebro que resiste existem n áreas sem Luz. Zonas escuras que não funcionam devidamente. É muito difícil para um cérebro assim aceitar a Luz. Toda vez que a pessoa escolhe um caminho negativo um caminho neural é seguido. Isso reforça esse caminho e fica cada vez mais fácil fazer aquilo que é positivo. As redes neurais que não são usadas definham. Fazer o bem estimula o cérebro todo. Ser contra o Todo definha o cérebro. É inevitável que seja assim. Existe uma única realidade que sustenta toda a realidade. Ser contra isso é suicídio. Literalmente. Se optarmos pelo Todo tudo isso é facilmente resolvido.

 

A consciência é tudo o que existe. Nós criamos a realidade pela nossa consciência. O que pensamos e sentimos cria a nossa realidade. Mais cedo ou mais tarde. Quanto mais emoção houver mais cedo cria. Emoção é o desejo de ter ou fazer algo. A dúvida descria o que se criou. Um único pensamento cria a realidade. Se não houver dúvida. Para não ter dúvida é preciso ter paciência. Confiar no Todo. Deixar o Todo atuar. Quem está unificado com o Todo não põe pressão para conseguir algo. Está satisfeito em fazer a vontade do Todo. O Todo só ajuda. Quem cria o problema é o ser emanado. O ego. Isso já foi explicado quando o Mestre disse dois mil anos atrás: “Tudo que pedirem, crendo que receberam, receberão”. Vejam que os tempos verbais estão no passado e depois no futuro. Primeiro crê depois recebe. Crê 100%. Nenhuma dúvida, nem pressa, nem ansiedade, nem pressão. Essa lei vale para todos. Desde uma bactéria até o ser mais evoluído. Tudo tem consciência. O fato de um ser não ter cordas vocais e linguagem não quer dizer que não sinta, não pense, nem que não se comunique. Estudem o caso da gorila Koko. Ela encarnou num corpo de gorila para mostrar aos humanos que tudo tem consciência.

 

Portanto, a in-formação do Todo está in-formando tudo.

 

O que aconteceria se os seres não resistissem ao Todo? Todos viveríamos num estado de alegria e evolução constante. Ajudando a todos a evoluírem mais. Todos com alegria e realização. Todos teriam todo o recurso material que precisassem para evoluir mais e mais. Não importando em que dimensão estivessem. Felicidade plena mais e mais. Inimaginável para a maioria das pessoas. Esta civilização pode chegar neste ponto? Pode. Se deixar de resistir ao Todo. Tudo tem solução.

 

Pelo estado do planeta Terra dá para ter uma ideia da resistência que existe?

 

 

 

Unificação com a Centelha Divina

 

 

O que é estar unificado com a Centelha Divina?

 

É fazer a vontade do Todo sempre. É ser o Todo. É viver para o Todo. É ser do Todo. É fazer para o Todo.

 

Evidentemente que isso é o contrário do que quer o cérebro reptiliano (Complexo-R). O ego vê somente os seus próprios interesses. Em tudo. Tudo que diz respeito à manipulação, poder, território, ganância, etc. é da essência do ego reptiliano.

 

Para fazer a vontade do Todo é preciso ir contra todo o instinto. Contra todos os instintos. E isso não é fácil. Por isso a evolução leva tanto tempo. Pois, quanto mais a pessoa conhece, mais poder ela tem. E ela tem de colocar esse poder à disposição do Todo. Não pode usar o poder para seus interesses particulares. Na verdade quem está unificado não tem interesses particulares.

 

E a pessoa tem de estudar mais e ter mais conhecimento. E não pode usar esse conhecimento em benefício próprio. E deve estudar mais. É um evento circular. Um círculo vicioso, que na verdade é virtuoso. Ascendendo sem parar. Elevando a própria frequência sem parar. E só ajudando, trabalhando e estudando. Sem parar. Ad infinitum. O Todo é assim. Exatamente assim. Unificar é ficar exatamente igual ao Todo. Na mesma frequência.

 

Os místicos dizem: desaparecer no Todo. Fundir-se com o universo. São formas de falar a mesma coisa. A individualidade continua existindo, mas o ego desapareceu. Só existe o Todo. O corpo espiritual pode se fundir com a energia do Todo e voltar a ter forma. Mas, o Todo continua unificado naquele ser. O ser pode dissolver-se no Todo e voltar a ter forma imediatamente. Dependendo da vontade do ser unificado. Isso é ser a mesma coisa com o Todo. Não importa se tem forma ou não. A consciência individualizada permanece, mas ela é o Todo. São o mesmo.

 

Isso implica em abdicar completamente do ego. De buscar os interesses pessoais. É entregar-se totalmente ao Todo. Render-se ao Todo. E isso tudo tem de ser um sentimento real. Não pode ser tática, estratégia, política, negociação, etc. O Todo está dentro de tudo. O Todo é tudo o que existe. A parábola de Jonas e a baleia é um exemplo disto. Jonas ficou dentro da baleia por 3 dias. Nós estamos dentro do Todo da mesma forma. Como Jonas iria manipular a baleia? Como fazer negócio com a baleia?

 

Portanto, unificação é uma coisa simples de entender, mas muito difícil de fazer. Normalmente acontece depois de muito sofrimento. Mas, não precisa ser assim. Pode ser de livre e espontânea vontade. A qualquer tempo.

 

 

 

Manifestação da Realidade

 

 

A criação ou manifestação da realidade é feita pela Centelha Divina. Como ela tem a mesma essência do Todo, ela tem o mesmo poder. São uma coisa só.

 

A Centelha está dentro de tudo o que existe. E é através dela que a manifestação acontece. Manifestação é o que chamamos Colapso da Função de Onda. Quando se faz uma escolha entre infinitas possibilidades e as transformamos em uma probabilidade.

 

No final do século XX houve um incêndio gigantesco na Amazônia. Não havia como extingui-lo. Esgotadas as possibilidades humanas dois pajés foram chamados para fazer a dança da chuva. Eles fizeram a dança e choveu. E apagou o incêndio. O que aconteceu depois disto? Mudou o paradigma da humanidade? Não. Mudou alguma coisa? Nada. Os pajés deram uma demonstração cabal da capacidade de mudar a realidade e isso foi completamente ignorado. Este é o padrão.

 

Em inúmeras palestras, livros e postagens já explicamos como funciona a manifestação. Segue regras simples. Para que a Centelha possa manifestar o que quer que seja é preciso que não haja nada atrapalhando. A Centelha está coberta por um ego. Esse ego precisa ser pura luz para não atrapalhar a Centelha. É Luz com Luz. Qualquer negatividade, miasma, antimatéria, etc. impede a Centelha de manifestar em toda a sua totalidade de poder. Não existe limite de poder para a Centelha.

 

Vejamos: Alguns anos atrás houve a guerra das Malvinas ou Falklands, aqui no sul do oceano Atlântico. Por causa de uma pequena ilha. A Inglaterra ganhou a guerra. Em 1850, mais ou menos, houve a guerra do ópio na China. São pequenos exemplos de quanto é difícil mudar a realidade neste planeta. Pois bem. O que acham de alguém tirar 300 milhões de súditos do Império Britânico (onde o Sol nunca se punha)? Pois foi o que um homem chamado Mahatma Gandhi fez. Vestido de um lençol, morando numa cabana e tecendo sua própria roupa. Dá para ter ideia do poder de manifestação dele? Como ele conseguia fazer isso?

 

Ele tinha absoluta certeza de que a Centelha Divina devia comandar sua vida. E seu ego não punha nenhum impedimento para isso. Não havia interesse particular nisso. Ele trabalhava para o Todo. Incondicionalmente.

 

Quando a pessoa está unificada com o Todo não há o que não possa manifestar. Quando não está unificada fica muito mais difícil manifestar. Existem n graus de capacidade de manifestação. Pode-se manifestar uma vaga no estacionamento, uma cadeira livre no cinema, um emprego, um carro e assim por diante. Tudo dependendo de quanto a energia da pessoa está limpa. Quanto mais luz mais manifestação. Quanto mais trevas, menor a manifestação. É muito simples a fórmula disto. É uma coisa matemática. Quanto mais luz mais energia, que é justamente poder. Quando um fóton encontra um elétron este salta de órbita. Está energizado. Quando perde esta energia volta para a órbita anterior. Imaginem uma quantidade infinita de Luz entrando numa pessoa ou sendo emanada por ela. Qual o limite de manifestação? Nenhum limite.

 

Portanto, a regra é simples. Quanto mais se quer manifestar, mais luz é preciso ter. E luz só se consegue com Amor Incondicional. Sem ego. Trabalhar, estudar e ajudar. Sem parar. O tempo todo. Isso traz mais luz. No devido tempo a capacidade de manifestação começa a ser exponencial.

 

Falando de outro jeito. O que faz a manifestação acontecer é o grau de Iluminação Espiritual do ser. Um inseto também faz colapso da função de onda. E o que ele colapsa? Um pouco de comida. Subindo na escala evolucionária os seres colapsam mais facilmente e os Seres de Luz colapsam sem limite.

 

Para colapsar é preciso tirar todas as crenças negativas, preconceitos, tabus, etc. Tudo que impede a evolução. Se a pessoa não consegue colapsar é porque há alguma coisa impedindo. É preciso verificar o que é e limpar isso.

 

É neste ponto que entra o Buda. Depois de tentar todos os meios para chegar na iluminação, foi somente quando ele desistiu e sentou-se debaixo da árvore é que Iluminou-se. Quando ele soltou tudo. Ele entendeu que todo desejo traz sofrimento. Inevitavelmente. Quando ele soltou tudo ele teve a capacidade total de manifestação. A Centelha pode trabalhar.

 

Lao Tsé explicou isso detalhadamente no Tao Te King. Existe um fluxo no universo. É preciso seguir o fluxo e não por resistência. O universo é próspero por si mesmo. Quer algo mais próspero do que criar os átomos? Os elementos? Criar a matéria? Criar universos? Para isso é preciso não por nenhuma resistência ao universo. Nenhum ego.

 

Todo corretor de imóveis sabe que se colocar pressão num cliente não fechara uma venda. Todo vendedor de sapato também e de carro também. Todos que prestam serviço ou são vendedores sabem ou deveriam saber que quanto mais pressão se coloca, menor o resultado. Toda venda é indireta. Portanto, com o universo é a mesma coisa. Toda pressão que se coloca para que o universo faça o que queremos é contraproducente. Não dá resultado. Se seguirmos o fluxo obteremos o resultado. Em Física isso chama-se Teoria do Caos.

 

Acredito que tenha ficado claro que sem limpar tudo, não há como manifestar.

 

 

 

Como sentir a Centelha Divina

 

 

A forma mais fácil de sentir a Centelha Divina é dar, doar e ajudar. O efeito será perceptível imediatamente em termos de neurotransmissores produzidos pelo cérebro que trarão alegria e felicidade.

 

Deve-se dar, doar e ajudar na medida das possibilidades de cada um e cada um faz o julgamento das suas próprias capacidades e condições. A palavra-chave é generosidade.

 

Um milionário deu uma mínima parte e uma viúva deu tudo que tinha. Quem deu mais? Quem foi mais generoso.

 

Doar não pode ser visto como um negócio com o Todo. Dou tanto e recebo mais. Isso não funciona assim. Doar é um ato de livre e espontânea vontade. Não pode ser forçado nem induzido. Todos sabem que com as técnicas de lavagem cerebral é possível fazer com que uma pessoa faça qualquer coisa. Nunca se deve fazer isso, pois criará um débito cármico inevitável. A contabilidade cósmica sempre está funcionando. Quem doa está recebendo um crédito e quem recebe está recebendo um débito. A questão é o que a pessoa que recebeu faz com o que recebeu. Ela usa aquilo como uma forma de progredir, crescer, evoluir e em seguida ajuda aos demais? Ou só usa para benefício pessoal? Achando que quem deu é um trouxa que foi passado para trás? Isso pode acontecer de n maneiras. Desde uma esmola num farol, um montante em dinheiro, um carro, um eletrodoméstico, um tratamento médico pago para alguém, um livro, uma biblioteca inteira, etc. Infinitas possibilidades de doar existem nesse planeta. Mesmo nas condições mais difíceis é possível ajudar. Por exemplo: um chefe de campo de concentração nazista comprava remédios para os prisioneiros com dinheiro do próprio bolso. Um massagista salvou inúmeros prisioneiros com o seu trabalho de massagista no campo. Mas, isso nunca pode ser forçado. Nunca pode ser uma exploração consciente.

 

Em qualquer sebo temos centenas de livros sobre técnicas que usadas forçam uma pessoa a fazer o que outra quer. Essa é uma tecnologia totalmente documentada e livre de encontrar. Qualquer pessoa que tenha interesse no assunto consegue saber essas técnicas. Desde que as torturas para lavagem cerebral foram descritas isso ficou muito fácil de aprender. Provoca-se dor e faz-se afirmações ao mesmo tempo. Não é necessário bater na pessoa, basta gritar seguidamente e provocar um sentimento de desvalia na pessoa. Diminuir a autoestima da pessoa com afirmações de que ela não “vale nada”, etc. O inconsciente grava os comandos e joga no nível mais profundo. Depois uma sugestão pós-hipnótica faz com que se “esqueça” os comandos dados. E a pessoa “virou” um zombie programado para fazer qualquer coisa que se queira. A outra técnica é muito mais sutil e tão eficiente quanto. E é a mais usada. Na guerra da Coréia os prisioneiros eram bem tratados e ganhavam um cigarro durante uma conversa com o interrogador, que só queria conversar. E oferecia um cigarro. E conversavam. Depois de dois meses o prisioneiro mudava de opinião e escrevia um documento com qualquer coisa que se quisesse. Tudo por causa de um cigarro e conversar. Na conversa o que se usa? Conta-se estórias que tem um objetivo e com arquétipos embutidos. A estória programa o resultado que se quer. Pode ser uma história pessoal ou fictícia. E tudo são estórias, livros, filmes, peças de teatro, estórias contadas oralmente por milhares de anos, mitos, lendas, Branca de Neve e os sete anões, Chapeuzinho Vermelho, etc. As histórias podem ajudar e elevar a pessoa. Ou podem controlar a pessoa e transforma-la num escravo. Toda a série Star Trek conta estórias e todas elevam e ajudam. Mas, existem inúmeras estórias que só servem para escravizar outra pessoa. É indiferente. O resultado é sempre o mesmo. Dá resultado. O alvo faz praticamente o que se quiser. E é muito difícil despertar de uma situação destas. Normalmente só com uma ajuda externa é possível quebrar os comandos colocados numa pessoa.

 

É neste ponto que conhecimento é poder. E conhecimento implica na responsabilidade do que fazer com o conhecimento. Ele só pode ser usado para ajudar. Quem tem conhecimento conseguirá resistir à qualquer lavagem cerebral, mesmo que inicialmente tenha ouvido as estórias com objetivo de controlarem sua vida. Um alerta interno fará com que a pessoa desperte. Ela questionará o porquê de agir daquela forma e sairá da situação.

 

Em última instância sempre fica na consciência de quem conta a estória as consequências do uso para o mal ou para o bem. A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória.